Últimas Notícias
Home / Construção / Arquitetura / Arquitetura sustentável na Favela de Paraisópolis – São Paulo

Arquitetura sustentável na Favela de Paraisópolis – São Paulo

Grotão - Fábrica de MúsicaUm edifício público multifuncional na favela Paraisópolis, de São Paulo, venceu o prêmio principal no valor de US$ 100 mil da etapa América Latina do 3º concurso internacional Holcim Awards para projetos e visões de construção sustentável. O projeto intitulado Grotão – Fábrica de Música impede a continuação da erosão e desabamentos perigosos de terras nos declives íngremes e leva infraestruturas sociais e culturais a uma comunidade que se encontra de fato separada da cidade formal. O projeto, chefiado por Alfredo Brillembourg, da Urban Think Tank, inclui um espaço público disposto em plataformas. O projeto apresenta áreas para agricultura urbana, um sistema de gestão de águas, um anfiteatro público, uma escola de música, um pequena sala de concertos, instalações desportivas, espaços públicos e infraestruturas de transportes.

A Holcim Foundation for Sustainable Construction, com sede na Suíça, realiza o concurso em paralelo em cinco regiões do mundo. Mais de 6.000 projetos, de 146 países, participaram dos Holcim Awards, que visa promover soluções sustentáveis desde o setor de construção e edificação até os aspetos tecnológicos, ambientais, socioeconômicos e culturais.

O chefe do júri e reitor do Departamento de Arquitetura da Universidad Iberoamericana (UIA) na Cidade do México, Carolyn Aguilar, elogiou a ideia pelo seu conceito unificador, com instalações culturais de grande qualidade, características arquitetônicas, e envolvimento integrado da comunidade local, numa abordagem de gestão e planificação inclusivas a nível social. “O projeto tem o potencial de contribuir para um enriquecimento da consciencialização e coesão sociais na área e aplica traços técnicos de forma exemplar e educativa”, afirma Carolyn.

Sobre Administrador

Veja também

Crise hídrica em São Paulo

São Paulo, crônica de uma tragédia anunciada

Em 2003 essa matéria da Folha (jornal paulista, extremamente condescendente com as gestões tucanas) já …

  • a palavra sustentável virou modinha no mercado imobiliário, qualquer buraco que use sistema de aquecimento solar, ou que plante umas verdurinhas ou trabalhe com sistemas de captação de água, agora é chamado de sustentável, nada contra o modelo mas o termo já encheu …

    • O conceito de sustentabilidade mundialmente aceito refere-se a ações que sejam economicamente viáveis, ecologicamente corretas, culturalmente aceitas e socialmente justas… entender esses princípios vai ajudar a separar projetos sustentáveis de "qualquer buraco que use sistema de aquecimento solar"… na verdade, a sustentabilidade é um aspecto vital para a raça humana… embora nem todos saibam disso..

      • Olá José Ruiz

        se falarmos de culturalmente falando, então esquece de empreendimento sustentável no Brasil e adianto esqueça (o resto do mundo)
        nossos pais e seus antepassados acabaram com o globo terrestre, darei um exemplo :

        e como mc donalds :

        eles entopem suas veias com muito óleo, carne e batata frita, e depois se fala em dar uma saladinha de frutas para melhorar ? para mim esse papo de sustentabilidade é uma fraude ….

        é sacanagem falarem em empreendimento sustentáveis na China, que é o país que mais polui no mundo, são sábio tem uma cultura milenar mas destroem com o planeta…

        sou muito realista em minhas colocações no mercado imobiliário, grande Ruiz você ainda é um romântico imobiliário, mas pelo amor de Deus não fale em ( ecologicamente correto ) pois este termo já encheu o saco, e parabéns pelas postagens sou seu leitor assíduo .