Últimas Notícias
Home / Mercado / O FUTURO DA EXCLUSIVIDADE & OUTRAS NOTAS

O FUTURO DA EXCLUSIVIDADE & OUTRAS NOTAS

PARCERIA
Em Santa Catarina, o modelo já é quase uma unanimidade: para incrementar as vendas de imóveis novos, construtoras e incorporadoras locais e mesmo de outros estados, vêm substituindo a exclusividade por parcerias com pools de imobiliárias. Segundo os corretores, nesse modelo ganham ambos os lados: as construtoras, que aumentam sua força de vendas, e as imobiliárias, que dispõem de mais produtos a oferecer aos consumidores.

O FUTURO DA EXCLUSIVIDADE
Aliás, essa questão da exclusividade, que nunca foi muito bem digerida pelos operadores do mercado imobiliário, parece estar com os dias contados. Afora os próprios corretores a rejeitarem, a Justiça Federal já tem decisões considerando a prática ilegal em três estados. O Cofeci deve enfrentar, já no curto prazo, uma parada bastante indigesta.

BRASIL NA FRENTE
De acordo com a Associação de Investidores Estrangeiros em Imóveis, o mercado imobiliário brasileiro é o segundo mais atraente do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. Nessa esteira, São Paulo saltou do 26º lugar no ranking das melhores para a quarta posição, atrás apenas de Nova Iorque, Londres e Washington.

CAIXA ABRE CRÉDITO PESSOAL
A CEF está oferecendo empréstimo pessoal com garantia imobiliária. O interessado consegue levantar até 70% do valor do seu imóvel, podendo quitar a dívida em 10 anos. Bom para quem precisa de dinheiro com condições facilitadas e uma das melhores taxas do mercado (desde 1,51% ao mês + TR).

DESACELEROU
São Paulo, o termômetro financeiro do Brasil, acusou uma retração de quase 21% na venda de imóveis novos nos primeiros onze meses de 2011, comparado com igual período de 2010. Os dados são do Secovi-SP, que também apontou uma redução na velocidade das vendas de 22,7% em 2010 para 13,9% em 2011.

OS GRANDES NA FRENTE
Ao contrário do que se poderia supor diante do quadro levantado pelo Secovi-SP, não foram as kitinetes ou os apartamentos de 1 quarto que lideraram as vendas. Em primeiro lugar, disparado, ficaram os de 2 dormitórios, com 53,3%, seguidos pelos de 3 quartos, com 28,7%.

FREIO PUXADO
Em vista disso, a Cyrela, uma das maiores imobiliárias do País, passou a trabalhar com um índice de crescimento menor em 2012. “O mercado não está mais aquecido como antigamente”, afirmou um dos seus diretores.

MARCAS FORTES
Pelo jeito, 2012 será o ano de prevalência das marcas. Construtoras e imobiliárias com nomes fortes no mercado e boa inserção na mídia, receberão maior atenção dos consumidores.

BB ACELERANDO
Na contramão, o Banco do Brasil está apostando suas fichas em 2012 e pretende elevar seu estoque de financiamentos habitacionais de R$ 7,7 bilhões (em 2011) para R$ 12,7 bilhões. Conta, para tanto, com o déficit de 8 milhões de famílias sem casa própria e com os incentivos de programas federais.

AVISO AOS DESCUIDADOS
O reconhecimento de fraude na venda de imóvel cuja penhora não foi registrada no Ofício Imobiliário, depende da prova de má-fé do adquirente – o que pode ser mais difícil do que se imagina.

NOVO PORTAL IMOBILIÁRIO
O mercado ganhou mais um mecanismo de buscas na internet: é o Onde Morar (www.ondemorar.com.br), que já tem milhares de ofertas cadastradas por dezenas de imobiliárias. Os grandes diferenciais do Onde Morar em relação aos outros portais são a gratuidade permanente dos anúncios postados, o fato dos anunciantes não precisarem cadastrar os imóveis individualmente e também o sistema de anúncios por cliques.

Por Carlos Alceu Machado (www.cam.adv.br)

Sobre Administrador

Veja também

Caixa Reduz Juros do Crédito Imobiliário & Outras Notas

CAIXA REDUZ OS JUROS DO CRÉDITO IMOBILIÁRIO A Caixa Econômica Federal anunciou a redução da …

  • Existe uma confusão muito grande com relação a questão da exclusividade, amplamente discutida aqui neste site. Algumas ações tratam da obrigatoriedade pelo proprietário em contratar corretor ou imobiliária com exclusividade. Oras, é óbvio que o COFECI não tem poderes para obrigar o dono do imóvel contratar com exclusividade. A questão é se o COFECI tem poderes para exigir que o corretor trabalhe somente com exclusividade, e neste sentido existem inúmeras situações de outras profissões sujeitas a normas e procedimentos semelhantes. Se o COFECI não puder fazer isso, melhor acabar com o conselho de corretores, porque aí ele não serve para nada. Também é totalmente equivocado dizer que corretor de imóveis “rejeita” exclusividade. Muitos não conseguem o contrato por falta de credibilidade, mas TODOS os corretores “amam” quando recebem uma intermediação com exclusividade (talvez algumas raras exceções não gostem, normalmente quando o corretor não quer compromisso com o proprietário).

    • Carlos Alceu Machado

      Como se sabe, o Conselho Federal de Corretores de Imóveis exige que os proprietários concedam exclusividade a algum corretor ou imobiliária para vender ou locar seu imóvel, sob pena do mesmo não poder ser anunciado publicamente. Entretanto, a Justiça Federal vem entendendo que o proprietário é quem deve dizer quantas imobiliárias e/ou corretores farão a publicidade e a negociação do seu imóvel.

      Para o Poder Judiciário, a exigência do COFECI restringe o direito ao exercício profissional, é contrária ao Código de Defesa do Consumidor e atenta contra a livre concorrência. O próprio Código Civil, em seu art. 726, prevê a exclusividade da corretagem como uma alternativa – não uma obrigação – a ser acertada entre o corretor e quem o contrata para intermediar a transação.

      No cotidiano, o que se percebe é que os proprietários, no regime da exclusividade, quase sempre privilegiam as maiores imobiliárias, que dispõem de grande poder publicitário, em detrimento das imobiliárias e corretores menores.

      • Então Carlos, eu desconheço totalmente qualquer norma do COFECI que exija que os proprietários concedam exclusividade, até porque isso é inexequível. O que existe é uma obrigatoriedade para que os corretores somente anunciem imóveis se tiverem contrato de intermediação imobiliária com exclusividade, e isso é absolutamente razoável. Quem é obrigado a fazer oque? Os corretores são obrigados a anunciar somente se tiverem exclusividade (proprietário não é obrigado a fazer nada). Da mesma forma que a OAB faz uma série de exigências para os advogados cumprirem…

  • romulobulhoes

    Olá parceiros, existem muitas maneiras de conciliar esta questão, mas essencialmente é preciso que haja uma discussão séria sobre esta questão onde a exclusividade é uma forma de preservar o Cliente e o Corretor, e nisso precisa haver consenso, já está mais do que provado que o contrato de exclusividade é necessário, e somente quem discorda é porque está mal intencionado na reciprocidade da confiança, o fato é que os proprietários desconhecem as gatunagens do mercado, e os pseudos corretores que estão de passagem que não querem assumir a profissão não se importam com este compromisso porque estão acostumados com a lei de Gerson. Eu não trabalho sem exclusividade, meu contrato de exclusividade é muito simples e diferenciado, toda vez que explico aos proprietários eles compreendem e assinam. Quem quiser uma cópia me envie um e-mail.
    romulobulhoes@gmail.com

    • Marco Pequito

      Olá Rômulo, sou brasileiro e resido em Portugal há mais de 10 anos e faço parte da rede Remax, que já está no Brasil como deve saber, há uns dois anos e meio. Por aqui a Remax trabalha apenas com exclusividade e é lider indiscutível de mercado logo à frente de outras redes norte-americanas como a ERA e Century21. Achei interessante a sua postura profissional de trabalhar apenas em exclusividade no Brasil, que apenas há pouco tempo começa a se deparar com conceitos mais avançados como os praticados nos EUA e Europa. Devo retornar em breve ao Brasil, porque o imobiliário por aqui está estagnado. Se possível, gostaria de ter uma cópia do seu contrato. Meu email: marcopequito@gmail.com Obrigado desde já.

    • Tânia Silva

      Rômulo e Marco,
      Sou corretora em Santa Catarina e concordo inteiramente com vocês. A única maneira de se trabalhar com seriedade é não dispensando a exclusividade. Também acho que os corretores que querem o fim da exclusividade são, na sua grande maioria, aqueles para os quais não existe ética nem profissionalismo.

  • Pingback: » Corretores do Futuro & Outras Notas()