Últimas Notícias
Home / Destaques / Promovido / Condomínios Compartilhados & Outras Notas

Condomínios Compartilhados & Outras Notas

EXPANSÃO DO CRÉDITO IMOBILIÁRIO
Apesar da crise econômica, o Banco Central prevê uma expansão dos mútuos imobiliários, com um crescimento acentuado dos empréstimos com taxas livres, isto é, com juros fixados pelo mercado. Apesar do grande avanço desse tipo de crédito no Brasil, que aumentou de 3% para quase 10% do PIB desde 2000, o BC e os agentes financeiros avaliam que há muito espaço para crescer.

CONDOMÍNIOS COMPARTILHADOS
Novo conceito de economia compartilhada está virando moda em condomínios de capitais brasileiras. Agora, não só salões de festas, academias, playgrounds etc. entram nesse compartilhamento de áreas e bens comuns, mas também bicicletas, carros e até apartamentos mobiliados para acomodação de visitas.
Um aplicativo foi desenvolvido para funcionar como uma rede social fechada entre os moradores, que poderão trocar experiências, além de efetuar reserva de todos os itens compartilhados pelos condomínios.

CEF MANTÉM FINANCIAMENTOS
A Caixa Econômica Federal fechou o primeiro semestre com mais de R$ 366 bilhões contratados através da sua carteira de crédito imobiliário, o que aponta um crescimento de quase 21% em relação ao mesmo período de 2014. A poupança – principal fonte de recursos para o financiamento de imóveis na CEF – contribuiu com mais de R$ 232 bilhões.

DIREITO DE PREFERÊNCIA DO INQUILINO
A Lei do Inquilinato prevê que o locatário tem preferência na aquisição do imóvel alugado, desde que em igualdade de condições com terceiros – o que inclui preço e condições. Notificado de que o locador pretende vender o imóvel, o inquilino pode, no prazo de trinta dias, manifestar sua concordância com a proposta ou permanecer em silêncio, o que configura sua desistência.

ADJUDICAÇÃO DE IMÓVEL LOCADO
O desrespeito ao direito de preferência que a lei garante ao inquilino, na compra do imóvel locado, não lhe assegura automaticamente o direito de ficar com o imóvel para si. Para que isso ocorra, o contrato de locação deverá estar averbado pelo menos 30 dias antes da alienação junto à matrícula do imóvel, e o locatário precisará depositar o preço e as despesas com a transferência no prazo máximo de 6 meses, contados da data do registro da escritura.

OS INTERESSES DOS COMPRADORES
Pesquisa realizada pelo portal imobiliário Viva Real, mostrou que 78% dos casados não proprietários tem a intenção de comprar um imóvel e que 90% dos entrevistados procuram por economias com pelo menos dois dormitórios. A maioria dos que responderam às entrevistas (62%), disseram que segurança é o item mais importante na hora da escolha do imóvel, seguido por vaga de garagem (59%) e pela possibilidade de ter animais (51%).

FGTS COM JUROS MAIORES
A mudança na forma de remunerar os depósitos do FGTS, em discussão no Congresso Nacional, é faca de dois gumes: positiva para quem tem recursos no Fundo, mas negativa para os tomadores de financiamentos habitacionais populares, que podem ver os juros dos empréstimos multiplicados por dois. Os operadores do mercado imobiliário acreditam que a alteração não se sustenta.

PÉ-DIREITO DUPLO E ELEVADO
No mercado imobiliário, usa-se a expressão “pé-direito duplo” para se designar a altura de um ambiente, medida do piso ao teto, com o dobro da medida de um pé-direito padrão (de 2,50m a 2,90m). Já “pé-direito elevado” é a altura de um ambiente, medida do piso ao teto, com medida superior a um pé-direito padrão; diz-se de pé-direito elevado ambientes com altura a partir de 3,50m.

Fonte: CARLOS ALCEU MACHADO (www.cam.adv.br)

Sobre Carlos Alceu Machado

Veja também

Atendimento Virtual

Atendimento virtual para corretores de imóveis

Atendimento Virtual A internet vem se tornando uma poderosa arma para auxiliar as imobiliárias e …