Últimas Notícias
Home / Cidades / Sustentabilidade / Construtoras de olho na sustentabilidade

Construtoras de olho na sustentabilidade

Projetar um empreendimento com quesitos de sustentabilidade – como o aproveitamento máximo da luz e da ventilação naturais, para que se consuma menos energia elétrica; a inclusão de áreas verdes e o reaproveitamento de materiais que sobram nos canteiros de obras – é prática cada vez mais adotada por construtoras. A importância dada a essas ações vem crescendo tanto que algumas dessas empresas estão, inclusive, criando departamentos exclusivos para tratar do assunto.

A Rossi é um exemplo. Segundo a construtora e incorporadora, o novo departamento tem o propósito de atuar junto às demais áreas da empresa, a fim de organizar as ações, disseminá-las entre as regionais, estudar novas tecnologias e processos e identificar oportunidades e riscos.

“Nosso objetivo inicial é explorar e melhorar ainda mais as ações já iniciadas, formatando iniciativas internas que já estejam relacionadas à sustentabilidade. Os colaboradores poderão sugerir projetos que serão avaliados e, se aprovados, colocados em ação. Queremos que o maior número possível de pessoas aqui dentro reflita sobre sustentabilidade, a fim de aumentar as oportunidades e iniciativas”, explica a coordenadora da área de sustentabilidade, Anelise Castro.

A Calçada Construtora também faz parte desse seleto grupo preocupado com sustentabilidade. A empresa conta com uma equipe dentro do departamento de incorporação que se dedica a desenvolver o tema sustentabilidade nos projetos, desde a obra até a arquitetura dos prédios.

“Nossa equipe busca atrelar os conceitos de responsabilidade ambiental aos âmbitos econômicos e sociais em todas as fases da obra. Para incentivar, conscientizar e tornar os operários parte do processo, desenvolvemos um programa de reciclagem de resíduos nos canteiros em que os beneficiados são os próprios operários, que ganham cestas básicas compradas com a renda da reciclagem. Em relação ao produto final, entregamos os prédios já com uma série de sistemas sustentáveis, como estrutura para instalação de hidrômetros individuais, sistema de reaproveitamento da água das pias e dos chuveiros para os sanitários e reaproveitamento de águas pluviais para limpeza de áreas comuns e rega dos jardins”, explica Bruno Oliveira, gestor de marketing da Calçada.

Por conta dessa e de outras ações, a Calçada recebeu, junto com o Sinduscon-RJ, o certificado “Amigo do Clima 2009″, do Ministério do Meio Ambiente e da Secretaria Estadual do Meio Ambiente.

A Pinheiro Pereira também está estruturando o seu departamento de sustentabilidade. Entre as ações que a empresa já faz e que esse setor passará a comandar estão a coleta de lixo reciclável nas obras, que é vendido para associações especificas e cuja renda é revertida para os funcionários; o uso exclusivo de madeira comprada em empresas licenciadas pelo Ibama e a preservação de áreas verdes preexistentes nos terrenos onde os empreendimentos são construídos.

A empresa recebeu da Companhia de Limpeza de Niterói o selo verde Clin, uma certificação concedida às construtoras que atendem às normas de coleta de resíduos da construção civil (que incluem armazenamento e transporte de entulho, terra, sobra de materiais de construção, reformas e demolição).

“Acredito que, com esse setor, iremos otimizar o trabalho, potencializar experiências que deram certo e, principalmente, encontrar outras soluções sustentáveis para cada projeto”, declara a sócia-diretora da Pinheiro Pereira, Kátia Pinheiro Pereira, que estará a frente do novo departamento.

Sobre Administrador

Veja também

AIDS: entre a cura possível e um novo surto mundial

Apesar dos progressos da pesquisa, desde a primeira descrição da AIDS, em junho de 1981, …

  • Òtima esta atitude, se tivesse mais governamento sustentável teria uma maior base para isto.