Últimas Notícias
Home / Editores / Carlos Alceu / O "Banco" CEF & Outras Notas

O "Banco" CEF & Outras Notas

O “BANCO” CEF
Porque a Caixa Econômica Federal tem que atuar como se fosse um banco comercial, é coisa que ninguém consegue entender. Saem prejudicados os consumidores, que precisam fazer compras casadas para conseguirem financiamentos habitacionais, e saem prejudicados seus funcionários, submetidos a toda sorte de pressão para o cumprimento de metas na venda de produtos financeiros.

CONSÓRCIO DE MILHÃO
Baseado no aquecimento do mercado e na valorização dos imóveis, o HSBC lançou, para seus correntistas, um consórcio com créditos que variam de R$ 500 mil a R$ 1 milhão, com prazo de 16 anos. A previsão é de cinco contemplações mensais (uma por sorteio e quatro por lance), podendo o consorciado fazer uso de 40% do valor do crédito para pagamento do lance.

JUROS MENORES
Boa notícia para o meio rural: uma resolução do CMN, permitirá que o Fundo de Terras e Reforma Agrária cobre juros mais baixos a partir de 1° de abril. Para a aquisição de terras, as taxas cairão de 2% a 5% para de 0,5% a 2% ao ano. Além disso, os encargos não serão mais calculados segundo o valor do empréstimo, mas sim conforme o perfil do tomador.

FUMO NOS CONDOMÍNIOS
Como a lei não impede ninguém de fumar em casa, alguns condôminos acham que é possível fumar nas áreas de uso comum de um condomínio. A princípio isso é possível, pois cada condômino é proprietário de uma fração dessas áreas. Contudo, se existir lei municipal vedando o fumo nesses lugares, ou mesmo se a convenção condominial o proibir, aí a situação se inverte.

GASTOS DIVERGENTES
Ao ofertarem imóveis na planta, algumas incorporadoras costumam subestimar o valor das futuras despesas condominiais para não afugentar os compradores. Por isso muitos gastos derivados do uso e manutenção de equipamentos comuns, que cada vez mais guarnecem os condomínios, não são bem calculados. Salários e encargos sociais também são normalmente encolhidos.

UMA NOVA NBR
A NBR 15575 (Edificações Habitacionais – Desempenho), da Associação Brasileira de Normas Técnicas, a ser publicada nos próximos dias, trará uma melhor qualidade de vida aos adquirentes de imóveis residenciais a serem construídos. Paredes que deixam vozes se propagar para apartamentos vizinhos e pisos escorregadios, serão as primeiras vítimas da nova norma.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO
Chegou a vez dos vendedores de materiais de construção receberem um benefício que o Governo Federal já tinha dado a outros 41 setores da economia. A partir de 2013, o segmento trocará os 20% de contribuição ao Instituto Nacional do Serviço Social (INSS), que incidiam sobre a folha de pagamento, por 1% do faturamento. A expectativa é que a medida gere empregos e reduza preços.

FRANQUIAS IMOBILIÁRIAS
Praticamente inexistentes até cinco anos atrás, hoje é grande o número de franqueadoras imobiliárias que oferecem sua marca ao mercado. Surgidas em decorrência do expressivo crescimento do setor, lojas dessas franquias são atualmente vistas em quase todas as cidades brasileiras de médio e grande porte. Os investimentos iniciais começam em R$ 40 mil e chegam às nuvens.

GOOGLE ADWORDS
Consta que o site da Lopes, a maior empresa de intermediação e consultoria imobiliária do país, bateu a marca das 20 mil visitas diárias. Bom para ela e para os seus 6.000 corretores, e ótimo para o Google, que teria contribuído com 40% do total das visitas, através das suas “palavras patrocinadas”. Ruim, evidentemente, para todas as mídias tradicionais.

FONTE: CARLOS ALCEU MACHADO (veja mais no Site, no Facebook e no Twitter)

Sobre Carlos Alceu Machado

Veja também

Caixa Reduz Juros do Crédito Imobiliário & Outras Notas

CAIXA REDUZ OS JUROS DO CRÉDITO IMOBILIÁRIO A Caixa Econômica Federal anunciou a redução da …