Últimas Notícias
Home / Cidades / Um poste que gera sua própria energia

Um poste que gera sua própria energia

Um avião colocado sobre alguns postes nas proximidades do Palácio De Iracema, do governo do Ceará, chama a atenção de quem passa por perto. Se atrai olhares pelo inusitado, a ideia esconde outras credenciais para quem busca o uso racional da energia, com menos impacto ambiental e aproveitando o potencial que o local tem. Desenvolvido pelo empresário Fernando Ximenes, da Gram Eollic, o poste híbrido com avião funciona gerando energia eólica e solar.

A solução, cuja ideia surgiu na época do “apagão em 2001, alimenta, no mínimo, mais dois postes, com autonomia de 70 horas. “Os benefícios são muitos. Para o meio ambiente é imenso, imagine não poluir, não emitir resíduos sólidos, líquidos, gasosos, nem radioativos ou térmicos e nem sonoros”, comenta Ximenes, que bancou o desenvolvimento do produto do próprio bolso.

Poste gera a própria energiaO poste híbrido, com nome técnico de Produtor Independente de Energia (PIE), tem modelos com 12 e 18 metros de altura. O avião colocado sobre o equipamento é feito de fibra de carbono e alumínio especial, tendo nas asas células solares que captam os raios ultravioletas por meio do silício, armazenando a energia produzida em uma bateria localizada na parte inferior.

“O uso do avião é por conta de ele ter uma aerodinâmica favorável”, observa o empresário. Neste caso o nível de geração de energia é de até 400 watts. As hélices do avião, a assim como uma pá de eólica, podem gerar até 1 mil watts.

“Um quilômetro de poste hibrido com avião independente de energia é menor que o convencional, e se computar o custo indireto da transmissão de energia e das subestações, ele fica ainda menor em comparação com o convencional”, explica Ximenes.

Nesta entrevista à Agência Ambiente Energia, ele fala dos benefícios do poste híbrido, do trabalho da empresa para colocá-lo no mercado e de suas vantagens ambientais. Sem impactos ambientais e capaz de gerar uma economia de até R$ 21 mil, a solução tem um grande espaço no Brasil, que tem um grande potencial eólico e solar. E o Ceará, sem dúvida, larga bem na frente por sua tradição com eólicas e sua incidência solar.

Agência Ambiente Energia – Como funciona o poste híbrido?

Fernando Ximenses – O poste hibrido (eólico e solar) com o avião, funciona produzindo ambas energias e alimentando no mínimo mais dois postes, com autonomia para 70 horas.

Uso de postes em vias públicasAgência Ambiente Energia – O que esta solução traz em termos de economia de energia e eficiência para este tipo de iluminação?
Fernando Ximenes – Este equipamento trás uma economia de tarifa de até R$ 21 mil, por quilômetro; dependendo das cargas instaladas e das tarifas cobradas pelas distribuidoras, trás também a independência do Sistema Interligado Nacional, podendo ser instalado em qualquer região do Brasil e do mundo.

A economia para o sistema interligado é de 4%, podendo triplicar este potencial, pois muitos trechos de rodovias, estradas, ruas e praças públicas não são iluminadas devido ao custo elevado de transmissão e subestações, inviabilizando vários acessos e projetos de iluminação.

Agência Ambiente Energia – Como está sendo a sua colocação no mercado?

Fernando Ximenes – A colocação do poste híbrido no mercado está sendo por meio de desenvolvimento de projetos em várias regiões do Brasil e da America Latina. Também estamos abrindo concessionárias independente de energia Gram-Eollic, em capitais.

Agência Ambiente Energia – O que a solução traz em termos de custos?

Fernando Ximenes – Os custos são acessíveis e variados, de acordo com cada projeto e suas necessidades. Um quilômetro de poste hibrido com avião independente de energia é menor que o convencional, e se computar o custo indireto da transmissão de energia e das subestações, ele fica menor ainda em comparação com o convencional.

Agência Ambiente Energia – Quais são os benefícios, além dos financeiros?

Fernando Ximenes – Os benefícios são muitos. Para o meio ambiente é imenso, imagine não poluir, não emitir resíduos sólidos, líquidos, gasosos, nem radioativos ou térmicos e nem sonoros. Não temos impacto ambiental nenhum, muito pelo contrário, o poste híbrido com o avião é decorativo. Podemos desenvolver várias nomenclaturas e design para os postes, de acordo com a cultura de cada região.

Podemos com o poste híbrido/avião economizar 4% em barragens hidroelétricas ou em termoelétricas e nuclear. Com isso, reduziremos o impacto ambiental das hidroelétricas que é incalculável, para a fauna, a flora, o ecossistema e economia de subsistência de uma região. Já nas termoelétricas reduzimos a poluição de emissão de gases, e nas nucleares reduzimos o problema do lixo nuclear.
.
.
Por Júlio Santos, da Agência Ambiente Energia, em www.ambienteenergia.com.br 

Sobre Administrador

Veja também

Crise hídrica em São Paulo

São Paulo, crônica de uma tragédia anunciada

Em 2003 essa matéria da Folha (jornal paulista, extremamente condescendente com as gestões tucanas) já …

  • Nilson Grossi

    Excelente, seria bom saber o custo real de cada avião.

  • bem decorativo e só …

  • Muito bom mesmo.. Tomara que a ideia não fique isolada.

  • A idéia é excelente, só não será colocada em prática supostamente porque prejudica setores que vivem da exploração desse serviço, isso sem contar que soluções assim colocariam um fim na famigerada "taxa de iluminação pública"